Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Economia Doméstica

O que faz

O economista doméstico tem como objetivos principais simplificar e otimizar o aproveitamento dos recursos, além de melhorar a qualidade de vida. Com ações que vão muito além do planejamento do lar, o profissional realiza atividades que buscam beneficiar toda a comunidade, podendo atuar nas áreas de alimentação, direito do consumidor, economia familiar, habitação, saúde e vestuário.

No setor privado, por exemplo, ele pode desenvolver de alimentos, o planejar cardápios balanceados e nutritivos e avaliar as condições de higiene de refeitórios em empresas. O economista doméstico também está apto a implantar de programas para desenvolvimento das crianças em creches, efetuar o controle de qualidade de produtos nas indústrias e orientar o processo de fabricação de roupas, objetivando um melhor aproveitamento dos tecidos.

São também suas atribuições ministrar cursos de educação do consumidor para a e o uso racional de bens e serviços, abordando e noções de higiene, economia e aproveitamento de alimentos. O economista doméstico pode trabalhar, inclusive, prestando assistência às comunidades rurais e na construção civil, integrando equipes de elaboração de moradias de baixo custo. A atenção ao idoso também é alvo de suas tarefas, na elaboração de planos de assistência para esse grupo.

O que estuda

A formação do economista doméstico possui um forte caráter multidisciplinar tendo em vista a atuação do profissional nas áreas mais variadas. O currículo mescla conhecimentos biológicos, matemáticos e sociais, como Química, Biologia, Estatística e Sociologia, que são aplicados em áreas específicas como Alimentos e Nutrição, Desenvolvimento Humano, Têxteis e Vestuário, Saúde e Planejamento do Espaço e Administração Familiar. Compõem o curso estudos em Educação do Consumidor, Planejamento e Preparo de Refeições, Tecnologia Têxtil, Higiene e Enfermagem do Lar, Ilustração de Moda, dentre outras disciplinas.

Área de atuação/Mercado de trabalho

O profissional graduado em Economia Doméstica encontra um vasto campo de trabalho. Ele pode trabalhar em escolas, creches e hotéis, além de também estar apto a trabalhar no mercado financeiro, como bancos e financeiras. Efetuando o controle de qualidade, ele pode atuar ainda em cozinhas industriais, supermercados e restaurantes. No setor de vestuário, gerencia a confecção e higienização de roupas em lavanderias e hospitais.

Outras áreas de atuação são as cooperativas, organizações não governamentais e empresas prestadoras de serviços de limpeza. Nas indústrias, desenvolve atividades no aperfeiçoamento de produtos e atendimento ao consumidor, área em expansão. No campo, o economista pode trabalhar em assentamentos, comunidades rurais e programas de agricultura familiar.

O setor público, as prefeituras, os ministérios, as secretárias e outros órgãos voltados a programas de segurança alimentar, habitação e extensão rural também oferecem oportunidades ao economista doméstico.

Como é o curso na UFC

O curso de graduação em Economia Doméstica foi criado em 1968, e seu primeiro vestibular ocorreu em 1972. A cada ano, ingressam 80 alunos, com entrada de 40 a cada semestre. O curso conta com três núcleos: Núcleo de Desenvolvimento da Criança (NDC), Núcleo de Educação do Consumidor e Administração Familiar (Educon) e o Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Gênero, Idade e Família (NEGIF), que desenvolvem atividades de pesquisa, extensão e ensino. A graduação pode ser concluída em oito semestres e integra o Centro de Ciências Agrárias, no Campus do Pici.

Mais sobre o curso

Economia Doméstica - Fortaleza

Créditos

© 2017 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo