Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Operação Sorriso certifica UFC por apoio em programa médico humanitário

Imagem: Reitor Henry Campos recebeu o certificado das mãos dos estudantes Gabriel Maia e Kezia Moraes (Foto: Lucas Casimiro)A organização não governamental Operação Sorriso (OS) entregou  nesta quinta-feira (21)  ao reitor da Universidade Federal do Ceará, Prof. Henry Campos, certificado de participação e agradecimento em virtude do apoio da UFC no Programa Médico Humanitário da entidade, realizado de 28 de outubro a 2 de novembro de 2017, no Hospital Infantil Albert Sabin (Hias).

A Universidade doou, por meio de instituições extensionistas como o Centro de Desenvolvimento da Família (Cedefam), itens de higiene pessoal, roupas, brinquedos e dinheiro, além de ter disponibilizado o Centro Acadêmico do Curso de Odontologia como local de doação desses materiais. Os itens arrecadados contribuíram para tornar mais humanizadas as cirurgias gratuitas de correção de fissura labiopalatina em crianças, evento da OS que acontece anualmente.

O reitor agradeceu o gesto em nome da Universidade. "Gostaria de dar os parabéns pela continuidade do projeto. É um programa relevante, que tem um valor muito grande na vida dessas pessoas [atingidas direta ou indiretamente por fissuras labiopalatinas]. Acho que essa reintegração da face é muito positiva, e é muito bom a Universidade estar engajada nesse projeto".

O Departamento de Clínica Odontológica da UFC é parceiro da Operação Sorriso. Os estudantes Gabriel Maia e Kezia Moraes são dois dos 16 alunos do Curso de Odontologia que participam do projeto, sob coordenação do Prof. Alexandre Nogueira. Eles foram à Reitoria entregar o certificado ao reitor e destacaram que a principal motivação de fazer parte do programa é poder ajudar pessoas, em especial, as crianças.

"É uma homenagem a todos os envolvidos. À Operação Sorriso e à UFC, por nos oportunizarem a dar continuidade a esse projeto, porque se não fosse a Instituição, a gente não conseguiria”, reconhece Kezia Moraes.

Os estudantes contam que essa "missão", como chamam, é grandiosa porque a quantidade de cirurgias é elevada, afetando positivamente famílias que vêm de vários estados. Para isso, eles passam um ano se preparando para o momento, quando assistem a cirurgias e fazem acompanhamento das crianças, numa integração internacional entre todos os participantes do programa, encontrando médicos do mundo inteiro.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional – fone: 85 3366 7331

Créditos

© 2018 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo