Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Caminhada para dar visibilidade a doenças inflamatórias intestinais ocorre domingo (21)

Imagem: Fachada do Hospital Walter Cantídio com iluminação roxaA prevalência das doenças inflamatórias intestinais (DIIs) – doença de Crohn e retocolite ulcerativa – vem crescendo no Brasil. Não é por acaso que o Serviço de Gastroenterologia do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), a Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará e a Associação Cearense de Gastroenterologia estão organizando uma série de ações com foco nas DIIs para a Campanha Maio Roxo. Uma delas é a 9ª Caminhada para Crohn e Colite.

O evento está marcado para este domingo, 21 de maio, a partir das 16h. A concentração será no Aterro da Praia de Iracema. Desse ponto, o grupo seguirá em direção ao Anfiteatro da Avenida Beira-Mar. No fim do percurso, serão distribuídos informativos sobre as doenças e dadas orientações acerca de sintomas e formas de tratamento.

Além da caminhada, Fortaleza vai receber, no dia 3 de junho, o III Simpósio Multidisciplinar de Doenças Inflamatórias, também promovido pelas instituições já citadas. O objetivo é ampliar o conhecimento sobre as DIIs e integrar as diversas áreas do conhecimento que lidam com essas enfermidades. Serão abordados assuntos sobre epidemiologia, manifestações clínicas, diagnóstico, tratamento clínico e cirúrgico, nutrição, utilização da terapia biológica, vacinação e discussão de casos clínicos. O evento, que recebe inscrições pela Internet, tem como público-alvo profissionais e estudantes de gastroenterologia, endoscopia digestiva e cirurgia do aparelho digestivo, entre outros interessados.

Neste mês de maio, a fachada principal do Hospital Universitário Walter Cantídio será iluminada de roxo. "Queremos, ainda, o apoio do poder público para que o 'roxo', que é a cor do movimento de luta contra as doenças inflamatórias intestinais, ganhe a fachada de prédios da administração. Quanto mais setores da sociedade estiverem envolvidos, mais conhecimento daremos a todos. Isso é fundamental para o controle das DIIs", afirma a médica Lúcia Libanez, coordenadora do Ambulatório das Doenças Inflamatórias Intestinais do hospital e do Simpósio Multidisciplinar de Doenças Inflamatórias.

SAIBA MAIS – As doenças inflamatórias intestinais são transtornos crônicos de causa desconhecida que acometem o aparelho digestivo. Englobam a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa. As DIIs podem acometer qualquer pessoa, porém são mais comuns em indivíduos de 15 a 25 anos e de 35 a 45 anos. Os principais sintomas são diarreia crônica, sangramento nas fezes e dor abdominal. Há várias modalidades de tratamento, como medicamentos, terapia nutricional e até cirurgia, que podem levar a um excelente controle das doenças.

Fonte: Unidade de Comunicação Social do HUWC – fone: 85 3366 8183

Créditos

© 2017 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo