Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Homenagem a ex-Reitores e lançamento de selo marcam início das comemorações dos 60 anos da UFC

Imagem: O Diretor-Adjunto dos Correios, William Porto, e o Reitor Jesualdo Farias (Foto: Ribamar Neto)Com a entrega da Medalha UFC 60 Anos a ex-Reitores, foram iniciadas na manhã de hoje (16) as comemorações do Jubileu de Diamante da Universidade Federal do Ceará, criada no dia 16 de dezembro de 1954. O auditório da Reitoria tornou-se pequeno para receber familiares e amigos dos homenageados, além de vários nomes que fazem parte da história da Instituição, porque "comemorar pode ser entendido como um ato de constante construção da experiência", como disse a Diretora do Memorial da UFC, Marcela Teixeira, na ocasião.

A Orquestra de Câmara da UFC, regida pelo Diretor da Secretaria de Cultura Artística (Secult-Arte), Prof. Elvis Matos, abriu a cerimônia interpretando "Maracangalha" e "É doce morrer no mar", de Dorival Caymmi, que este ano completaria 100 anos, se vivo estivesse. Antes da apresentação, o Prof. Elvis informou que os cursos de Música da UFC (nos campi de Fortaleza e Sobral) são considerados os melhores do Nordeste e, juntos, o quinto do Brasil. Em seguida, um vídeo institucional, exibido à plateia, mostrou em quatro minutos uma síntese da UFC de hoje.

Confira mais imagens da solenidade no Flickr da UFC

SELO E CARIMBO – Afirmando que os Correios não poderiam deixar de estar presentes às festividades pelos 60 anos de criação da UFC, o Diretor-Adjunto da empresa, William Porto, comandou o ato de lançamento do selo e carimbo comemorativos e convidou para a primeira e segunda obliterações o Reitor Jesualdo Farias e o Vice-Reitor Henry de Holanda Campos, respectivamente. As peças ficarão 30 dias na agência dos Correios e depois seguirão para o Museu Nacional da empresa, em Brasília.

Imagem: A cerimônia teve início com apresentação da Orquestra de Câmara da UFC (Foto: Ribamar Neto)O selo é criação da equipe do Curso de Design da UFC, em parceria com o Memorial da Instituição, explicou Marcela Teixeira. Tem como base o conceito de diversidade, que se traduz nas diferentes cores e formas. Mostra o número 60 aliado a cores que representam os pilares da Universidade: ensino (azul), pesquisa (laranja) e extensão (amarelo).

VISIONÁRIO – O momento da entrega de Medalhas e diplomas revestiu-se de emoção, notadamente, quando em nome dos agraciados falou o Prof. Murilo de Carvalho Martins, filho do fundador da UFC, Reitor Antônio Martins Filho. "Tive a felicidade de acompanhar de perto a vida de nossa entidade, desde os seus primórdios, na noite de 16 de dezembro de 1954, quando, em companhia de meus pais, tomei conhecimento da assinatura da lei que criava a UFC. Com muita emoção posso dizer que presenciei o momento supremo da história do Ceará", declarou.

"Tenho orgulho de dizer que, como primogênito de Martins Filho, tive a oportunidade de acompanhar de perto o trabalho por ele desenvolvido, bem como como professor universitário, diretor do Instituto de Medicina Preventiva e do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará, Vice-Reitor e membro do Conselho Universitário, e representante da cultura por ser presidente da Academia Cearense de Letras", afirmou o Prof. Murilo Martins.

Admitindo não ser tarefa fácil falar de 12 Reitores, o Prof. Murilo Martins destacou características de cada um deles em suas gestões. Do pai, lembrou "o homem extremamente objetivo e determinado a conseguir o que almejava sem deixar de ser o que foi, um visionário". Falou das grandes dificuldades do ex-reitor Fernando Leite, sucessor de Martins Filho "em face das diretrizes do governo militar, que restringiu muito a autonomia universitária e até interferia em questões internas".

Imagem: O Prof. Murilo Martins representou os 12 ex-Reitores da UFC homenageados (Foto: Ribamar Neto)De Walter Cantídio, recordou a operosidade e a responsabilidade pela implantação da Reforma Universitária e expansão física da UFC. "Na área médica era um grande defensor da Medicina Preventiva", assegurou. A expansão do parque computacional é creditada ao ex-Reitor Pedro Teixeira Barroso, que morreu antes de terminar o mandato.

CULTURAL – O quinto Reitor, Paulo Elpídio de Menezes Neto, fortaleceu o setor cultural da Instituição, criou a Editora e promoveu de forma inovadora os Encontros Culturais, com personalidades que se destacavam nos cenários nacional e internacional. Sua administração caracterizou-se pelo avanço qualitativo da Universidade, com o objetivo de recuperar alguns cursos em situação crítica.

Uma das grandes conquistas do Prof. José Anchieta Esmeraldo Barreto foi a descentralização da administração para escalões intermediários, reconheceu o orador Murilo Martins. Quanto ao ex-Reitor Hélio Leite, "foi o operacionalizador da implantação do sistema de Automação Universitária e um dos reitores mais atuantes na melhoria das relações da Universidade com a sociedade”.

Embora tenha assumido a Reitoria "em meio a uma crise acadêmica que chegou a ameaçar a estabilidade da instituição", o Prof. Antônio Albuquerque Souza Filho, "com a vocação de executivo, superou os obstáculos", sentenciou o Prof. Murilo Martins.

HABILIDADE – Ao referir-se aos dois mandatos do ex-Reitor Roberto Claudio Frota Bezerra (de quem foi Vice-Reitor na primeira gestão), disse que ele soube aliar as características de executivo a uma grande habilidade política. Sua administração caracterizou-se pelo avanço qualitativo da instituição, assegurou Murilo Martins.

Sobre René Barreira, afirmou: "O grande destaque do seu trabalho foi o fortalecimento dos campi do Cariri e de Sobral. Institucionalizou a estrutura do controle interno e criou o Instituto de Cultura e Arte". Creditou ao ex-Reitor Luiz Carlos Uchoa Saunders o fato de "ter dado estabilidade e normalidade institucional à UFC", quando em duas oportunidades exerceu o comando da Reitoria. "Nas duas eventualidades, demonstrou seriedade, compromisso institucional e habilidade na condução dos processos eleitorais, garantindo a normalidade de funcionamento da Universidade".

Imagem: O auditório da Reitoria ficou cheio durante a cerimônia (Foto: Ribamar Neto)"Ícaro de Sousa Moreira foi o primeiro pesquisador de renome nacional a atingir o cargo de Reitor de nossa instituição", enfatizou o Prof. Murilo Martins, lembrando que "em sua passagem de apenas 10 meses na Reitoria, trouxe a sua paixão pela entidade e de forma determinada estruturou as bases do processo expansionista, vivenciado hoje pela UFC", complementou.

RECONHECIMENTO – As primeiras Medalhas, acompanhadas de diplomas alusivos, foram dedicadas aos ex-Reitores Martins Filho (25/6/1955 a 21/2/1967), "in memoriam", representado pelo filho, Murilo Martins; Fernando Leite (25/2/1967 a 25/2/1971), "in memoriam", representado pela filha, Marta Leite Magalhães; Walter Cantídio (15/4/1971 a 15/4/1975), "in memoriam", representado pela filha, Sônia Cantídio Mota; Pedro Teixeira Barroso (22/6/1975 a 19/5/1979), "in memoriam", representado pelo genro, Prof. Paulo Aragão; Paulo Elpídio de Menezes Neto (21/6/1979 a 21/6/1983); José Anchieta Esmeraldo Barreto (21/6/1983 a 21/6/1987); Raimundo Hélio Leite (21/6/1987 a 21/6/1991); Antônio de Albuquerque Sousa Filho (21/6/1991 a 21/6/1995); Roberto Cláudio Frota Bezerra (30/6/1995 a 29/6/1999 e 30/6/1999 a 30/6/2003); René Teixeira Barreira (27/6/2003 a 4/1/2007); Luiz Carlos Uchôa Saunders (4/1/2007 a 20/6/2007) – representado pelo Prof. Francisco de Assis Melo Lima, Diretor do Cetrede, seu ex-aluno – e Ícaro de Sousa Moreira (21/6/2007 a 17/4/2008), "in memoriam", representado por Eduardo Henrique Silva Sousa, que foi seu primeiro orientando de doutorado.

Até dia 25 de junho de 2015, quando a UFC assinala 60 anos de instalação, outras Medalhas serão entregues, depois de aprovadas pelo Conselho Universitário.

OUSADIA – Apesar de sua juventude, ao completar 60 anos a Universidade Federal do Ceará “sente-se herdeira de tradição milenar e muito bem sedimentada no campo da geração e transmissão do conhecimento”, declarou o Reitor Jesualdo Farias em seu pronunciamento. "Somos os continuadores de Bolonha, de Oxford, Paris, Cambridge, Salamanca, Coimbra e tantas outras instituições que atravessaram os tempos ajudando o homem a compreender o universo e a si mesmo", destacou.

Imagem: O Reitor Jesualdo Farias reconheceu que "a UFC nasceu sob o condão da ousadia" e fez diversos agradecimentos (Foto: Ribamar Neto)O Reitor reconheceu que "a UFC nasceu sob o condão da ousadia. Em 1954 não eram muitos os que acreditavam na viabilidade de uma Universidade assentada nesta terra de sol e mares bravios. Os incrédulos, no entanto, subestimavam a coragem e a visão de futuro de Martins Filho, desconheciam a capacidade intelectual do brilhante grupo de professores que o acompanhavam e a intrepidez dos estudantes que se somaram à luta pela conquista de um novo status para o Ensino Superior em Nosso Estado", assegurou o Prof. Jesualdo Farias.

A fala do Reitor Jesualdo Farias foi também de gratidão. Agradeceu ao Governo do Estado, à Prefeitura de Fortaleza e aos demais municípios cearenses, à representação do Estado na Câmara Federal e no Senado; aos Ministérios da Educação, da Saúde, e da Ciência, Tecnologia e Inovação; aos bancos do Brasil, do Nordeste e do Desenvolvimento Econômico e Social. Externou gratidão às fundações e associações de apoio e aos movimentos sociais, bem como à ADUFC-Sindicato, ADAUFC, Sintufce e DCE.

O Reitor Jesualdo Farias ainda estendeu os agradecimentos aos docentes, aos técnico-administrativos, aos alunos da graduação e pós-graduação. "É deles o aplauso pelos avanços nessas seis décadas, na formação de profissionais do mais alto nível, na produção do conhecimento, na prestação de serviços, na defesa e difusão dos nossos valores culturais", concluiu, completando que "são deles os louros por termos construído uma Instituição cujo patrimônio mais valioso é o respeito e o orgulho que desperta no coração dos cearenses".

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional – fones: 85 3366 7331 e 3366 7332

Créditos

© 2018 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo