Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Campanha "UFC e Você contra o Mosquito" entra em nova fase e lança site próprio

Imagem: Celular com a tela mostrando o acesso ao site www.aedes.ufc.brA Universidade Federal do Ceará é uma das lideranças do Pacto da Educação Brasileira contra o Zika, proposto pelo Ministério da Educação, e reafirma seu compromisso de erradicação do mosquito Aedes aegypti iniciando uma nova fase da campanha UFC e Você contra o Mosquito. Lançada em janeiro e já entendida pela Administração Superior como uma ação permanente, a campanha acrescenta a seu escopo um leque de diferentes ações para impactar a comunidade acadêmica.

A principal novidade desta fase é o lançamento do site www.aedes.ufc.br, que concentrará a divulgação de notícias sobre ações de prevenção e combate ao inseto, calendário de formações educativas para os diferentes públicos que compõem a Universidade e mecanismo para solicitação de palestras. No site, também está disponível material didático pronto para ser usado nas atividades de multiplicação para estudantes, servidores docentes, técnico-administrativos e comunidade, como: apresentação de slides, lista de verificação domiciliar e do ambiente de trabalho e peças publicitárias da campanha para veiculação nas redes sociais e em grupos de aplicativos de mensagens.

O grande desafio é superar a crença de que esse é um assunto que todos dominam e já sabem como lidar. Só em 2016, segundo boletim da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, já foram notificados 42.983 casos suspeitos de dengue, 102 diagnósticos de microcefalia associada ao zika vírus e 2.234 pessoas confirmadas com chikungunya no Estado. A situação é preocupante, porém, a educação possui grande potencial de reverter o quadro. "Cada universidade vai dar o seu melhor. A ideia é fazer um trabalho censitário, de acompanhamento da evolução do número de ocorrências, verificar se os casos de microcefalia podem ser atribuídos ao zika, realizar campanhas permanentes, desenvolver pesquisas, buscar vacinas, traçar estratégias", enumera o Reitor Henry de Holanda Campos, que coordena o grupo de trabalho das universidades envolvidas com o tema.

Na nova página, o usuário poderá testar seus conhecimentos em um quiz sobre o inseto, as doenças que transmite e as formas de interromper seu ciclo de reprodução. Caso o desempenho na pontuação não seja dos melhores, no próprio endereço eletrônico estão disponíveis estatísticas epidemiológicas, dados científicos sobre as quatro doenças (dengue, zika, chikungunya e febre amarela) e suas possíveis complicações (como microcefalia e síndrome de Guillain-Barré), ferramentas para uma prevenção efetiva em casa, na Universidade e nos espaços públicos, bem como os contatos dos órgãos competentes aos quais se pode denunciar focos do mosquito.

COMUNIDADE ATIVA – Uma das instâncias protagonistas da campanha, a Pró-Reitoria de Extensão pretende contar com o reforço dos mais de 700 programas e projetos de extensão que administra. Envolvendo, dessa maneira, os mais de 600 bolsistas dos projetos, ela vislumbra a chegada da mensagem a um público mais amplo, já que essas ações beneficiam mais de um milhão de pessoas em todo o território cearense. "Há a necessidade de maior engajamento da comunidade universitária no assunto por ela não ter percebido, ainda, a gravidade do problema", alerta.

Já foram realizadas palestras de sensibilização com as equipes de limpeza e manutenção de vários campi, servidores de setores administrativos e organizações estudantis como Programas de Educação Tutorial (PETs) e empresas juniores. Todos saíram da formação com a missão de impactar pelo menos uma turma de companheiros de estudo ou trabalho. A expectativa é de que os alunos, professores e servidores, ao ouvirem as apresentações de seus colegas, compreendam a mensagem e tornem-se também agentes multiplicadores em suas famílias e comunidades.

De acordo com o Prof. Chico Neto, docente do Curso de Publicidade e Propaganda e Coordenador Adjunto de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC, todo o processo visa ao empoderamento. "Para que o combate ao mosquito e às doenças seja efetivo, compreendemos que a melhor estratégia de comunicação é oferecer às pessoas informações e ferramentas qualificadas na disseminação de melhores práticas para a prevenção e tratamento da zika, chikungunya, febre amarela e dengue", afirma.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional – fone: 85 3366 7319

Créditos

© 2017 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo