Barra do Governo Federal

Procurar no portal

Curso de técnicas inovadoras de anatomia acontece até sexta-feira (13) no Porangabuçu

Imagem: A estudante de Odontologia Joana Alves, autora de um elogiado modelo anatômico do globo ocularQuem imagina aula de anatomia apenas com cadáveres em cima de mesas numa sala cheirando a formol vai mudar conceitos ao saber o que tem a ensinar o Curso de Técnicas Anatômicas Prof. Hidelgardo Rodrigues, realizado pela Sociedade Brasileira de Anatomia (SBA), no Departamento de Morfologia da Universidade Federal do Ceará.

Pela primeira vez o curso acontece no Estado e apresenta técnicas consagradas de preservação de corpos para estudo, como a milenar mumificação, ao lado de outras inovadoras, como a pintura corporal (body painting) e a plastinação. Esta última, criada em 1977 pelo artista e anatomista alemão Gunther von Hagens, substitui líquidos e gorduras de corpos por materiais plásticos, facilitando a preservação e manipulação. O trabalho de von Hagens já foi visto em Fortaleza na exposição "O fantástico corpo humano".

O curso é realizado anualmente em uma cidade diferente do Brasil. A edição em Fortaleza é a 16ª e começou na segunda-feira (9), prosseguindo até sexta-feira (13). Tem o objetivo de capacitar professores, técnicos e estudantes nas diversas técnicas de anatomia com fins de ensino. A Profª Delane Gondim, do Departamento de Morfologia da UFC, coordena o curso e tem o apoio, na organização, da equipe do Museu de Anatomia e Arte (Musanart), das ligas de Anatomia e Cirurgia (LAC) e de Anatomia de Cabeça e Pescoço (Lacape). Para efeito de exercícios práticos, estão sendo utilizadas partes orgânicas de animais.

Veja outras imagens do curso no Flickr da UFC

Nesta quinta-feira (12), das 8h às 18h, a programação do curso inclui a técnica de diafanização, que torna corpos transparentes permitindo a visão de órgãos e outras partes internas; de modelagem em biscuit, criação de esculturas de peças anatômicas em diversos tamanhos e cores; e de pintura corporal, que dão ideia, por exemplo, da localização de músculos e tendões e seus respectivos movimentos.

Imagem: Técnica em Anatomia apresenta esculturas de peças anatômicasSexta-feira (13), das 8h às 12h, ocorrerão as aulas de plastinação teórica e prática. A partir das 14h, haverá avaliação, lavagem e montagem das peças, encerramento e entrega de certificados. Compõem o quadro de professores desta edição do Curso de Técnicas Anatômicas Prof. Hidelgardo Rodrigues, além de Delane Gondim, Richard Cabral, presidente da SBA; Henrique Barros, do Centro Universitário Tiradentes (Unit), de Maceió; Gilberto Cerqueira, da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e, em breve, da UFC, para onde está se transferindo depois de novo concurso; e pela estudante Laina Costa, do Campus Picos da UFPI.

O Prof. Richard Cabral, presidente da SBA, considera o curso de extrema importância "não só pela possibilidade de aprender as ferramentas que podem ser utilizadas para a preparação de material didático voltado ao estudo do corpo humano, como também pela possibilidade de se instrumentalizar para poder desenvolver pesquisas científicas que venham a contribuir para a melhoria dos cuidados aos pacientes". Ele acrescenta que, "apesar de a Anatomia ser uma ciência antiga, ainda há muito o que ser estudado. Nulla Medicina Sine Anatomia: não há Medicina sem Anatomia".

ANATOMIA E ARTE – A Profª Delane Gondim revela sentir orgulho pelo avanço que o departamento obteve após a criação do Laboratório de Plastinação, coordenado pelo técnico Helson Freitas, "onde tornamos, através deste processo, as peças anatômicas plastificadas, aumentando, assim, sua vida útil e diminuindo os riscos de exposição ocupacional", diz a docente. O Laboratório de Plastinação da UFC é pioneiro do Norte e Nordeste e o técnico Helson Freitas afirma, com satisfação, que a vinda dessa edição do curso para Fortaleza "torna a UFC acesa no mapa nacional da plastinação e anatomia".

Para a estudante de Odontologia Joana Alves, autora de um elogiado modelo anatômico do globo ocular, a Anatomia é disciplina básica para diversos cursos não só da área de saúde. Com a apresentação de novas técnicas, a intenção é mudar a visibilidade da disciplina, "identificada por cadáveres no formol". Ela destaca a intenção de "mostrar que existem outras formas de se estudar a Anatomia: com arte". As duas ligas – LAC e Lacape – querem tornar a disciplina atrativa não só para alunos da área de saúde, mas para outras graduações, como Psicologia, Dança, Teatro e Educação Física.

Imagem: Alunos em volta de mesa onde professor explica técnicas de mumificaçãoCAMPANHA – A Profª Delane explica que, no Ceará, há uma dificuldade de obtenção de corpos humanos destinados aos estudos de Anatomia, especialmente com o aumento do número de cursos de Medicina no Estado. Para melhorar o quadro, nos últimos anos foi intensificado um movimento em parceria com instituições públicas e particulares juntamente ao Governo do Estado, que resultou, no ano passado, na criação do Conselho Estadual de Distribuição de Cadáveres para fins de Ensino (Cedice). O Conselho é presidido pelo coordenador de Medicina Legal da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), Renato Evando Filho, e tem como vice-presidente o Prof. João Erivan Barreto, ambos docentes da UFC. Com a iniciativa, a ideia é haver uma escala para recebimento de corpos em rodízio.

A Profª Delane Gondim cita também a revogação de uma norma estadual que exigia autorização judicial para destinação de corpos para estudo. Prevalecem algumas exigências legais: o corpo deve ter tido morte natural, não ter sido reclamado por familiares, e é preciso ter havido um período de permanência de pelo menos 30 dias no Instituto Médico Legal (IML). Na opinião da professora, a saída para aumentar o número de corpos para estudo deve ser a doação voluntária. A expectativa é unir instituições e sociedades em campanhas educativas como as que existem para doações de órgãos.

Fontes: Profª Delane Gondim, do Departamento de Morfologia – fones: 85 3366 8471 e 3366 8474 / Helson Siqueira, Técnico em Anatomia – fone: 85 99951 2459

Créditos

© 2017 Secretaria de Tecnologia da Informação/Divisão de Portais Universitários Ir para o topo